Posts Tagged ‘ british do it better ’

Estilo: Helena Bonham Carter

Esta semana, li uma notícia que me fez rir bastante: “Helena Bonham Carter quer manter título de celebridade mais mal vestida”.

Eu fiquei meio “Como assim, mais mal vestida?”. Tudo bem, eu não sou tão ingênua a ponto de não saber que esse título é exclusivamente dela. E também não sou ingênua a ponto de achar que o estilo dela é elegante e unânime.

Nunca consegui “definir” a forma dela se vestir. Talvez seja uma mistura de gothic lolita, grunge e vintage. Mas a certeza é que seu estilo é único e transmite bem a sua personalidade autêntica.

No dia-a-dia, sobram tecidos, com saias abaixo dos joelhos, meias-calças escuras e casacos longos. Os sapatos pesados e fechados nunca podem faltar, assim como os óculos retrô. Helena também não se importa em repetir peças.

Em suas aparições públicas, ela sempre é surpreendente. Dificilmente se pode prever o que usará, como a própria diz.

Além de minha de ser minha atriz preferida, Helena é minha ícone não-tão-fashion. Eu sei que ela erra tanto quanto acerta, mas a originalidade dela me inspira muito mais do que qualquer outra modelo bonitinha, arrumadinha e padronizada.

Juless

Anúncios

Lily: a estrela do Brit Awards

Se ainda existe uma premiação que valha a pena acompanhar, é o Brit Awards. Creio que é porque eles valorizam os artistas de verdade, e não somente as ditas “modinhas”. Ok. Este foi o Brit Awards da  Gaga. Ela levou os três premios a que concorria. Fez uma (como sempre) excêntrica performance. Ousou (de novo) no Red Carpet. Bem previsível, na verdade. Não me entendam mal. Eu confesso que não gosto da Gaga, mas tudo o que ela tem, fez por merecer. Mas desta vez, eu não fiquei surpresa com nada que veio dela.

Quem definitivamente me surpreendeu, foi minha não-tão-adorável Lily Allen. Eu sou muito fã dela. Mas para mim, ela sempre foi uma cantora banquinho e microfone. Sem super produções, sem danças, playbacks e derivados e é por isso que eu a adoro. Por essas razões, eu fiquei totalmente boquiaberta com a sua apresentação.

Cantou The Fear, 1° single do álbum It’s Not Me, It’s You, em um palco com um maravilhoso cenário urban+pop art, cercada de bailarinos perfeitamente sincronizados, foi patriota e também crítica da sociedade de seu país e ainda ensinou a todas as outras atrações como se faz um verdadeiro show.

Só levou um, dos quatro prêmios em que concorria: melhor cantora britânica. Não que ela precisasse de mais. Chamou atenção no red carpet com um exótico figurino. Levou o melhor prêmio da noite. Fez a melhor performance da noite e ainda causou um extremo desconforto aos organizadores do evento, ao fazer seu discurso de vencedora, que mais expressava desapontamento.

Não teve para Lady Gaga, Cheryl Cole ou Florence. Lily Allen foi a estrela da noite.

O vídeo da sensacional performance: